Acesso Rápido
ir direto para o conteúdo | ir direto para editorias | ver sitemap

Área do usuário

Conteúdo

//Colaborativo

08 de Agosto de 2014 | 16:11

O Pensador

O Pensador

Juliana Guimarães

Semana passada eu fui ao show do Gabriel o Pensador, realizado pelo Festival Sesc de Inverno, em Nogueira. Se eu já era fã, minha admiração pelo artista só cresceu! Dois adolescentes foram chamados ao palco pelo cantor que demonstrou muita alegria em ver uma nova geração conhecendo as letras de músicas antigas. Junto ao artista, eles cantaram “Racismo é burrice”, de 2003, quando eles eram apenas crianças, (para quem não conhece, pode conferir a letra neste link: http://letras.mus.br/gabriel-pensador/137000/).

Compartilhei desta alegria. Lembrei que ganhei meu primeiro Cd do Gabriel, (Quebra-Cabeça), quando eu tinha uns 9 anos e, desde então, passei a acompanhar todos os seus trabalhos. Músicas com letras críticas e inteligentes – ô coisa difícil de ser achada nos dias hoje, e um estilo único de mistura de ritmos. Participações como a de Adriana Calcanhoto em “Tás a ver” e o uso de um trecho de “Carinhoso”, de Pixinguinha, em “Deixa quieto” são apenas alguns exemplos da riqueza cultural que inspira Gabriel.

Em um tempo em é possível falar tudo sobre tudo, encontramos um grande vácuo nas letras atuais. Ao contrário da época da ditadura, em que Caetano Veloso, Chico Buarque e outros precisavam disfarçar seu descontentamento em metáforas e mesmo assim faziam questão de protestar. Gabriel o Pensador aproveita muito bem a liberdade de expressão.

Racismo, desigualdade social, corrupção, banalização da educação são temas encontrados nas letras desse poeta, de forma leve, divertida, irônica. Acredito que quem cresce escutando canções como “Pátria que pariu”, “Brazuca” e “Até quando?” tem grandes chances de se tornar um cidadão mais consciente, questionador e reflexivo sobre a realidade do nosso país. Músicas que nos fazem pensar. E que não fiquemos só nos pensamentos.

“Pensa! O pensamento tem poder.
Mas não adianta só pensar. Você também tem que dizer!

Diz! Porque as palavras têm poder.
Mas não adianta só falar. Você também tem que fazer!”

Se liga aí – Gabriel o Pensador

Comente!

Captcha