Acesso Rápido
ir direto para o conteúdo | ir direto para editorias | ver sitemap

Área do usuário

Conteúdo

//Colaborativo

17 de Julho de 2014 | 19:56

Teresópolis merecia mais

Teresópolis merecia mais

Guilherme Cohen

Muitas pessoas madrugavam na frente da Granja Comary, em Teresópolis. Viajantes vieram de vários cantos do Brasil. Mas, especialmente para quem mora na cidade, o final não foi feliz.

Quem termina uma Copa entre os quatro melhores do mundo, em um campeonato com 32 equipes, certamente fica feliz com o bom resultado conquistado. Menos nós. Somos pentacampeões, somos o “país do futebol”, somos Brasil. Que me perdoe a Costa Rica, Bélgica e Colômbia, mas para eles, o quarto lugar teria um “gosto” de título.

Na proporção, só teremos uma outra Copa no Brasil em 2078. Muitos de nós não estaremos mais aqui. Seremos avós, bisavós e quando as crianças da próxima geração nos perguntarem como foi a segunda Copa em solo brasileiro, ficaremos pensando em uma definição por alguns segundos, já que era tudo ótimo até o 7 a 1 da Alemanha.

Os teresopolitanos terão história para contar, talvez vídeos e fotos, mas o que eles mais queriam era poder falar que “fomos a casa do hexa”. É triste para quem mora em outro estado, mas para quem é apaixonado por futebol, por Teresópolis e por Copa do Mundo, ficou o gosto amargo. Quem foi até lá e empurrou o time apenas naquele “rachão” que não vale nada e nem acrescenta algo ao futebol queria muito esse hexa.

Que em 2018 os habitantes de Terê sejam recompensados, eles mereciam. O país era seleção, cada habitante era seleção e o hexa, por mais longe que tenha ficado, era pra eles. Vocês mereciam mais, muito mais.


Comente!

Captcha