Acesso Rápido
ir direto para o conteúdo | ir direto para editorias | ver sitemap

Área do usuário

Conteúdo

//Saúde

06 de Fevereiro de 2015 | 13:56

Petrópolis ganha novos leitos para saúde

TAG 
(Foto: Divulgação / Prefeitura de Petrópolis)

Redação - Notícias da Serra

Petrópolis ganhou seis novos leitos para o tratamento de dependentes químicos. As unidades, inauguradas nesta quinta-feira (5) pelo prefeito Rubens Bomtempo, funcionam no Hospital Clínico de Corrêas (HCC). Elas serão usadas para desintoxicação, além dos cuidados clínicos e neurológicos dos pacientes. O projeto está ligado ao programa “Crack, é possível vencer”, do governo federal.

O “Crack, é possível vencer” envolve diversas secretarias, como Segurança, Saúde, Educação e Assistência Social. No momento, Petrópolis conta com equipamentos da Guarda Civil (dois carros, duas motos, armas de condutividade, spray de pimenta e ônibus de monitoramento) para apoiar as ações da instituição.

“Petrópolis é o único município da Região Serrana que aderiu ao programa e somos o município que cumpriu mais etapas, por isso as ações estão acontecendo”, explicou o coordenador da Divisão de Saúde Mental da Secretaria de Saúde, Rui Stockinger, acrescentando que em 2008, quando foi inaugurado o Centro de Assistência Psicossocial Álcool e Drogas (CAPs AD 24 horas) havia cerca de 250 pessoas cadastradas. Hoje, o número passa dos 4.500 cadastrados.

Durante a inauguração, o prefeito Rubens Bomtempo comemorou a ampliação do atendimento. Esta é mais uma importante conquista, que garantirá um salto significativo na qualidade do atendimento na rede pública de saúde. Quero parabenizar todos os funcionários do hospital e, em especial, a direção da unidade, que acredita no SUS. Com a abertura desses leitos, a reforma do Núcleo de Integração Social (NIS – abrigão) e o trabalho desenvolvido pela rede de saúde mental, melhoramos nossos equipamentos públicos e construímos uma verdadeira rede de proteção social”, destacou.

Outros projetos também fazem parte do programa: a implantação de um consultório na rua, a instalação de uma unidade de acolhimento para adulto e outra infantil, a expansão do Centro de Atenção Psicossocial (Caps-AD), o fortalecimento do Centro de Referência Especializado de Assistência Social (Creas) e dos Centros de Referência de Assistência Social (Cras).

Comente!

Captcha