Acesso Rápido
ir direto para o conteúdo | ir direto para editorias | ver sitemap

Área do usuário

Conteúdo

//Saúde

18 de Setembro de 2017 | 19:55

Unifop promove sua sétima mesa redonda em Petrópolis

TAG 
O evento tem entrada gratuita e é aberto ao público

Redação

O envelhecimento traz consigo diversas alterações, especialmente as modificações funcionais que podem trazer prejuízos relacionados à independência e desempenho na realização das tarefas diárias. Conhecer as limitações causadas pelo avanço da idade e saber lidar com este novo cenário é fundamental tanto para os idosos, como para seus cuidadores. Por isso, a Unifop promove, no próximo dia 25, a mesa redonda "Fisioterapia e Envelhecimento", com os fisioterapeutas Cleber da Penha e Christiano Viannay. O evento acontece às 19h, na Casa de Cláudio de Souza.

“Estamos abordando o tema do envelhecimento sobre vários aspectos, procurando construir um modelo amplo que nos faça entender que esse processo é muito mais do que simplesmente o envelhecimento biológico. A fisioterapia contribui de forma efetiva com a qualidade de vida, explorando os recursos do corpo. Acredito que iremos ganhar muito com essa troca de conhecimento”, comentou a presidente e psicóloga da Unifop, Jociane Gatto.

O objetivo da palestra que faz parte da programação anual da Unifop – Cooperativa de Saúde Mental e Reabilitação é conscientizar as pessoas sobre o que acontece com o corpo humano quando envelhecemos. De acordo com Cleber, a perda da funcionalidade e as transformações musculoesqueléticas ficam mais evidentes quando se chega à terceira idade.

“Dentre as maiores perdas de funcionalidade durante o envelhecimento estão a perda de massa muscular, seguido da perda de massa óssea e degenerações articulares. Todo esse conjunto leva a limitações funcionais para as atividades da vida diária”, comenta o fisioterapeuta Cleber da Penha.

O fisioterapeuta Christiano Viannay abordará a fisioterapia como tratamento para os problemas cardio respiratórios que atingem 6% dos idosos entre 60-79 anos e a partir dos 80, cerca de 10%. Os problemas podem ser percebidos, segundo o fisioterapeuta, com o surgimento de pneumonia de repetição, dispneia (dificuldade de respirar), fraqueza muscular, falta de equilíbrio, perda de memória e má circulação.

Segundo Viannay, a fisioterapia trabalha como prevenção e retorno do paciente às atividades e os tratamentos podem ser variados de acordo com cada caso. “O Tratamento Fisioterapêutico se baseia nos exercícios respiratórios, no uso de VMNI (Ventilação Mecânica não invasiva), em incentivadores respiratórios (Respiron, Voldyne), na utilização de utensílios para desobstrução brônquica, em exercícios de fortalecimento muscular, exercícios proprioceptivos, atividade física e hábitos saudáveis”, comenta o fisioterapeuta.

Além disso, ambos são enfáticos no que diz respeito aos cuidados e hábitos saudáveis que devem ser adquiridos ao longo da vida. “É muito importante cuidarmos da saúde como um todo. Manter uma vida saudável é uma tarefa diária. A mudança do estilo de vida para hábitos saudáveis, com certeza irá proporcionar uma melhor qualidade de vida”, explicam os fisioterapeutas. 

Comente!

Captcha